As estações do Metropolitano de Lisboa continuavam encerradas às 17:00 devido à greve de 24 horas marcada pelos sindicatos, registando a adesão de 90% dos trabalhadores das áreas operacional e oficinal, segundo os sindicatos.

De acordo com Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), às 17:00 estava tudo “a decorrer normalmente”.

“Os índices de adesão rondam os 90% nas áreas operacional e oficinal, exatamente iguais às greves anteriores”, disse à Lusa.

De fora desta contabilidade ficam os funcionários administrativos e técnicos superiores, “porque não é fácil fazer um balanço no próprio dia, embora não adiante escamotear que estes funcionários têm sempre índices de adesão mais baixos à greve”, acrescentou.

Contactada pela Lusa, a empresa Metropolitano de Lisboa não adiantou nenhum balanço de adesão à greve.

Segundo a sindicalista da Fectrans, os trabalhadores prosseguem a sua luta contra a privatização da empresa, em defesa dos postos de trabalho e de um serviço público de qualidade.

O Metropolitano de Lisboa adiantou na segunda-feira, numa nota enviada à comunicação social, que a circulação estaria suspensa até às 06:30 de quarta-feira “por motivo de greve de 24 horas convocada por várias organizações sindicais representativas dos trabalhadores”.

A transportadora acrescentou que a Carris iria reforçar algumas das carreiras de autocarros que coincidem com os eixos servidos pelo Metro, entre as 06:30 e as 21:00 de terça-feira.

As linhas com reforço do número de autocarros em circulação são a 726 (Sapadores - Pontinha Centro), a 736 (Cais do Sodré - Odivelas – Bairro Dr. Lima Pimentel), a 744 (Marquês de Pombal - Moscavide – Quinta das Laranjeiras) e a 746 (Marquês de Pombal - Estação Damaia).

A greve de hoje é a sexta greve realizada pelos trabalhadores este ano.

Além da paralisação de 24 horas da passada terça-feira, os trabalhadores da empresa também realizaram greves parciais a 24 de fevereiro, 16 e 18 de março e a 28 de abril, entre as 06:30 e as 09:30, levando a que a circulação de composições se realizasse nesses dias apenas a partir das 10:00.