A Autoridade para as Condições de Trabalho já está a fiscalizar as empresas que empregam recibos verdes quase em exclusividade, de modo a separar os verdadeiros dos falsos contratos de prestação de serviços. Ao todo, em 2013 e nos primeiros meses do ano, foram inspecionadas 1.156 empresas e instauradas 69 coimas no valor global de 265 mil euros.

Os casos suspeitos já foram encaminhados para o Ministério Público.

As inspecções foram realizadas para dar cumprimento ao Código Contributivo, sendo que, ao que o Negócios apurou, em 2011, quando começou, foi detetada a existência de 33 mil empresas com quase 64 mil recibos verdes em situação de dependência económica, ou seja, em potencial situação ilegal.

Estas 33 mil empresas foram chamadas a pagar uma taxa no valor global de 32,8 milhões de euros e ficaram sinalizadas para receberem uma inspeção da ACT: