A transportadora aérea SATA vai reforçar os voos para a América do Norte, onde vivem grandes comunidades de emigrantes dos Açores, e adotar um novo sistema de tarifas que poderá reduzir os preços até 57%.

O anúncio foi feito pelo presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, num discurso em Fall River, (Massachsetts, EUA), no encerramento das Grandes Festas do Espírito Santo da Nova Inglaterra, considerada uma das maiores manifestações culturais da diáspora açoriana.

Segundo Vasco Cordeiro, a SATA (a transportadora aérea dos Açores), vai, a partir do próximo inverno IATA (International Air Transport Association, uma organização que congrega 240 companhias aéreas), «reforçar durante todos os meses as ligações à América do Norte, aumentando em todos os meses os voos».

Assim, acrescentou, nos meses de julho e agosto, passará a haver voos todos os dias de e para Boston.

Além disso, a SATA vai adotar um novo sistema de preço de passagens «baseado na oferta ou não de serviços (bagagem e serviço de bordo), que possibilitará uma redução no preço das passagens que pode variar entre os 16% e os 57% em relação aos preços que atualmente são praticados».

«O Governo dos Açores tem presente a aspiração de há muito de todos os açorianos aqui residentes de terem condições mais acessíveis para visitarem os Açores», afirmou Vasco Cordeiro, para quem «a distância não deve ser impedimento para um menor envolvimento das comunidades açorianas no planeamento e na participação no desenvolvimento dos Açores».

Na mesma intervenção, Vasco Cordeiro, citado num comunicado do Governo Regional, repetiu o apelo à mobilização dos emigrantes nos EUA em relação à questão da base das Lajes, na ilha Terceira, de onde os EUA querem retirar parte significativa dos militares que atualmente têm ali destacados.

Insistindo em que estão em causa «centenas de empregos, diretos e indiretos» e um grande impacto no PIB da Terceira e da região se «esta decisão for por diante como está planeada», Vasco Cordeiro voltou a pedir aos açorianos nos EUA para sensibilizarem os senadores eleitos pelos estados em que vivem para a «importância de apoiarem a base das Lajes, de apoiarem a ilha Terceira e os Açores neste assunto», como conta a Lusa.

Em declarações à agência Lusa, o secretário regional dos Transportes, Vítor Fraga, explicou que por enquanto este novo sistema de cálculo de tarifas só será aplicado às ligações à América do Norte.

Em relação aos voos de e para o Continente e a Madeira, «está a ser estudado um sistema similar», mas a sua aplicação «está pendente da revisão das obrigações de serviço público, cuja proposta [do Governo dos Açores] foi apresentada há 16 meses», não tendo havido até agora «qualquer resposta por parte do Governo da República, pese embora os sucessivos pedidos de audiência para o anterior ministro da Economia, quer já ao atual», acrescentou Vítor Fraga.

O novo sistema de tarifas, explicou, «tem como base a sua flexibilização em relação ao transporte de bagagens e serviços de bordo» e «beneficiará os Açores e os açorianos, aumentando o leque de escolha».

Vítor Fraga lamentou assim que a proposta enviada para o Ministério da Economia em relação às obrigações de serviço público esteja «na gaveta», revelando "uma clara desconsideração por todos os açorianos", ou, então, que «este processo esteja a ser conduzido de um forma oculta», não se sabendo o que Governo da República «pretende a este nível».

As obrigações de serviço público definem as regras do tráfego aéreo de carga e passageiros entre os Açores e o resto do país.

O secretário regional dos Transportes disse não ser para já possível estimar em que percentagem poderão diminuir as tarifas da SATA entre os Açores e o resto do país se for aplicado o novo sistema de cálculo das passagens, sendo uma questão que está a ser ainda a ser estudada.