Alexandre Soares dos Santos defende um acordo a dez anos entre o PS e o PSD, para tirar Portugal da crise. Ao Jornal de Negócios, o presidente demissionário da Jerónimo Martins classifica-se como um cidadão preocupado e diz não entender o programa da troika.

Soares dos Santos considera também que «a Constituição deve estar adaptada aos dias de hoje», apesar de assumir que «não somos um país moderado. Somos um país azedo que detesta o debate, não quer discutir nada. Querem é todos derrubar o Governo e todos estão preocupados com uma única coisa: as próximas eleições. [Mas] não vamos a parte nenhuma com eleições. Porque o nosso problema é dinheiro. Somos tesos e estamos falidos».