O banco Morgan Stanley anunciou na terça-feira que vai pagar 1,25 mil milhões de dólares (925 milhões de euros) no seguimento de acusações de fraude na venda de títulos garantidos por empréstimos hipotecários anterior à crise do imobiliário norte-americano.

O Morgan Stanley vai elevar as suas reservas legais em 150 milhões de dólares devido ao acordo com a agência federal de financiamento imobiliário, acrescentou a instituição financeira, em comunicado ao mercado de capitais.

Este é o mais recente acordo entre o Governo e um dos grandes bancos dos EUA relacionado com a crise financeira.

Em novembro, o JPMorgan Chase pagou 13 mil milhões num acordo destes e o Bank of America e o Goldman Sachs anunciaram entendimentos co as autoridades de dimensão similar.

Este acordo resolve um processo, de setembro de 2011, no qual a entidade que controla as agências de crédito imobiliário Freddie Mac e Fannie Mae alega que o Morgan Stanley fez «declarações falsas e omissões materiais» na venda de cerca de 11 mil milhões de dólares daqueles títulos, conforme o banco informou em comunicação ao mercado de capitais dos EUA.