Já morreram 336 pessoas nas estradas portuguesas este ano. Os dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), que agregam os balanços da PSP e da GNR, dizem respeito ao período entre 1 de janeiro e 31 de agosto.

Comparando com os primeiros oito meses de 2016, há mais 55 vítimas mortais, num total de 84.737 acidentes. Já ontem, no Diário da Manhã da TVI, a GNR admitiu que "os dados não são animadores" no que toca à sinistralidade rodoviária este ano. 

Na contabilização dos acidentes, este ano já houve mais 537 do que em período homólogo de 2016 (no ano passado registaram-se 84.200).

De acordo com a Segurança Rodoviária, os distritos com o maior número de mortos são:

Porto 53
Setúbal 40
Santarém e Lisboa 33
Aveiro 26
Leiria e Faro 20
Coimbra 18
Braga 14
Beja e Viana do Castelo 12

Nos acidentes, 1.435 pessoas ficaram feridas com gravidade, mais 45 do que em igual período do ano passado (1.390).

Entre 1 de janeiro e 31 de agosto foram ainda contabilizados 26.672 feridos ligeiros, mais 937 do que em igual período do ano passado.

Na última semana deste balanço (22 a 31 de agosto), foram registados pela PSP cinco mortos e 13 feridos graves, enquanto a GNR somou 11 mortos e 44 feridos graves em acidentes rodoviários.

Os dados da ANSR dizem respeito às vítimas cujo óbito foi declarado no local do acidente ou a caminho do hospital.