A Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP) considera que a redução do IRS para 2015 anunciada pelo Governo «já vem tarde», mas defendeu que deve ser feita para haver recuperação no rendimento das famílias.

Em declarações à Lusa a propósito da apresentação de um documento do Governo com orientações para a reforma do Estado, o presidente da CCP, João Vieira Lopes, disse que a redução do IRS tem de ser feita para que haja recuperação no rendimento das famílias e para que a economia seja relançada.

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, anunciou na quarta-feira que o Governo vai nomear em 2014 uma comissão de reforma do IRS, composta por "especialistas com abrangência política", adiantando que o executivo pretende preparar uma redução deste imposto para 2015.

O presidente da CCP realçou que, independentemente do aspeto positivo do aumento que se tem verificado nas exportações, se não houver um reforço do mercado interno, «é impossível» recuperar a economia.

João Vieira Lopes lembrou que, até agora, foram apenas feitos cortes em termos salariais por necessidades meramente financeiras.