O ministro das Finanças, Mário Centeno, afirmou hoje que os salários médios estão a crescer, em resposta ao Bloco de Esquerda, que defendeu o aumento dos salários na função pública mas também no setor privado.

"Para o Bloco de Esquerda, a prioridade é preparar desde já o fim do congelamento salarial na Função Pública", afirmou Mariana Mortágua, salientado que os salários dos funcionários públicos valem hoje 90% do que valiam em 2010.

Admitindo que a discussão sobre o aumento salarial "só agora começou", a deputada bloquista defendeu também que "não se pode permitir que no privado exista estagnação salarial".

Em resposta à deputada, o ministro das Finanças disse que o salário médio cresceu 2% em Portugal no ano passado, considerando que "há um reforço significativo da dimensão salarial" que pode ser visto também através das contribuições salariais, que estão a aumentar 7%.

Isto quer dizer, segundo simplificou o ministro, que "o salário que os portugueses levam para casa no seu conjunto está a crescer 7%".

Numa entrevista à TSF/Dinheiro Vivo, divulgada este fim de semana, o deputado do PS João Galamba disse que "dificilmente poderá haver em cima disto aumentos salariais em 2019", uma posição que foi contraposta pela líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins.