O Banco da China, a quarta maior instituição financeira do país asiático, apelou esta sexta-feira ao Governo chinês para tomar medidas que travem o aumento da "bolha" no setor imobiliário.

"São necessárias políticas macroeconómicas urgentes para conseguir um equilíbrio entre a estabilização do crescimento e pôr fim às bolhas nos ativos"

O banco estatal deixou este alerta escrito num relatório sobre a conjuntura económica do país, publicado na quinta-feira.

A instituição prevê que a economia chinesa cresça 6,7%, este ano, o mesmo ritmo registado no primeiro semestre.

Uma estimativa dentro da meta definida por Pequim, que antecipa uma expansão do Produto Interno Bruto entre 6,5% e 7%.