O emprego na região Norte subiu 1,7% no terceiro trimestre face a período homólogo de 2013, representando «o maior crescimento desde há seis anos», revelou esta segunda-feira a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), noticia a Lusa.

No relatório trimestral Norte Conjuntura, a CCDR-N refere que o emprego na região continuou a crescer, depois de um segundo trimestre em que aumentou 0,9%, adiantando que este crescimento de 1,7% - variação que representa mais cerca de 26 mil indivíduos empregados - «é o segundo mais elevado dos últimos 12 anos».

A CCDR-N salienta que «as atividades administrativas e serviços de apoio e as indústrias transformadoras foram os dois setores que, em termos homólogos, mais contribuíram para o emprego regional no terceiro trimestre».

O relatório indica que, na região, a taxa de desemprego desceu para 14,3, valor que compara com 15% no trimestre anterior e com 16,5% no período homólogo, e que, ao mesmo tempo, cresceu a diferença entre as taxas de desemprego masculina (12,8%) e feminina (16%).

Quanto às exportações de mercadorias, o relatório refere que «mantiveram uma dinâmica de crescimento bastante superior à média nacional, apesar de algum abrandamento», sendo que no terceiro trimestre cresceram, «em termos homólogos, cerca de 6,4% em valor, impulsionadas sobretudo pelo vestuário, pelo setor automóvel, pelo mobiliário e pelo calçado».

Em destaque está também o setor do turismo no Norte, «com as taxas de ocupação a situarem-se em níveis historicamente elevados e com os indicadores de atividade dos estabelecimentos hoteleiros a registar crescimentos importantes».

O relatório revela ainda que «os rácios de crédito vencido das empresas e das famílias da região Norte continuaram a subir no terceiro trimestre de 2014, em simultâneo com novas reduções no financiamento bancário à economia regional».

«No final do terceiro trimestre de 2014, o financiamento do sistema bancário e financeiro às famílias (incluindo crédito à habitação, ao consumo e a empresários em nome individual) diminuiu 3,8% na região e 3,7% em Portugal, face ao período homólogo do ano anterior. Estes valores traduzem, em todo o caso, um lento mas persistente desagravamento da tendência negativa, face aos resultados dos últimos trimestres», lê-se no documento.

E apesar do financiamento dos bancos às empresas ter registado neste período «uma variação homologa de menos 5,7% na região», «os níveis de incumprimento bancário (das empresas) aumentaram, voltando a atingir novos máximos: 13% na região Norte».

No que diz respeito ao nível salarial, a média mensal líquida dos trabalhadores por conta de outrem no Norte foi de 755 euros no terceiro trimestre, mais 2,4% face ao trimestre homólogo de 2013, «em virtude do aumento de 1,5% no salário médio nominal, acrescido por uma inflação negativa (-0,9%) na média do terceiro trimestre».

O relatório indica ainda que, «no final do trimestre em análise, a despesa pública validada relativa a operações do QREN na região Norte ascendia a 8.854 milhões de euros (mais 19% do que no final do trimestre homólogo de 2013)».