A taxa de desemprego terá ficado nos 11% em agosto, o mês de verão tradicionalmente de férias para muitos portugueses e uma altura habitual de criação de emprego temporário, sazonal, em setores como a restauração ou o alojamento.

É ainda uma estimativa provisória do Instituto Nacional de Estatística, que indica que nesse mês havia 561,8 mil pessoas sem trabalho. Já a população empregada ascendeu a 4.561,9 mil.

Ao mesmo tempo, o INE revelou a estimativa definitiva para julho, com a taxa a ficar nos 10,9%.

Embora aparentemente a taxa tenha subido de um mês para o outro, ambas as estimativas não são diretamente comparáveis, porque uma é apenas provisória e a outra definitiva.

O INE ainda pode vir a rever a de agosto, tal como vez com a de julho, que no final de contas ficou duas décimas abaixo da previsão inicial.  

Em agosto de 2015, a taxa de desemprego observada foi de 12,3%.