O Instituto Nacional de Estatística confirma esta segunda-feira que o PIB cresceu 1,5% em 2015, mais 0,6 pontos percentuais do que o verificado no ano anterior.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, o contributo da procura interna para a variação anual do PIB aumentou, situando-se em 2,5 pontos percentuais em 2015, devido ao crescimento mais intenso das despesas de consumo final, uma vez que o investimento desacelerou.

Já a procura externa líquida registou um contributo menos negativo, passando de -1,3 pontos percentuais em 2014 para -1,0 pontos percentuais, refletindo a aceleração das exportações de bens e serviços.

O INE ressalta ainda os ganhos conseguididos com a "redução pronunciada" das importações, em resultado da diminuição dos preços dos bens energéticos.

Nas contas do último trimestre de 2015, o PIB registou, em termos homólogos, um aumento de 1,3% em volume (variação de 1,4% no trimestre anterior). A procura externa líquida apresentou um contributo ligeiramente mais negativo para a variação homóloga do PIB, refletindo a desaceleração das exportações mais intensa que a das importações.

Já o contributo da procura interna manteve-se em 2,1 pontos percentuais no quarto trimestre. Comparativamente com o 3º trimestre, o PIB registou uma taxa de variação de 0,2% em termos reais (0,1% no 3º trimestre). 

O valor relativo ao total do ano já tinha sido avançado pela estimativa rápida das contas nacionais trimestrais, a 12 de fevereiro, segundo o qual a economia portuguesa "registou um aumento de 1,5% em volume" no conjunto de 2015, "após uma taxa de 0,9% no ano anterior, traduzindo um contributo menos negativo da procura externa líquida".