O empresário Patrick Monteiro de Barros afirmou esta quinta-feira ter «vergonha» do valor do salário mínimo nacional pago em Portugal (485 euros brutos), dizendo que é «um dos mais baixos da Europa».

O salário mínimo em Portugal é «um dos mais baixos da Europa. Tenho vergonha», disse Patrick Monteiro de Barros, na conferência 'Empresas na Caixa', promovida pela Caixa Geral de Depósitos, em parceria com o Jornal de Notícias, Diário de Notícias, Dinheiro Vivo e TSF, a decorrer em Lisboa.

Em contraste, deu como exemplo os preços da eletricidade, em que Portugal se situa na média europeia, o que disse não poder aceitar.

Patrick Monteiro de Barros defendeu que «o problema resolve-se aumentando a educação, a produtividade global», mas considerou que «não há vontade política para fazê-lo».

«Hoje em dia, ser político é uma profissão. Uma pessoa nunca vai tomar medidas contra a sua profissão», disse, numa declaração que mereceu um forte aplauso da assistência.

Também o empresário Jorge Armindo, da Amorim Turismo, mostrou-se favorável à subida do salário mínimo e garantiu não ter trabalhadores a quem pague este valor.