Os portugueses vão ter preços de referência dos combustíveis a partir do final de outubro, o que permitirá avaliar os valores praticados antes de escolherem o local onde abastecer.

Fonte oficial da Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC) confirmou à Lusa que os preços de referência dos combustíveis começarão a ser publicados na 2.ª série do Diário da República e na página na Internet da entidade «na última semana de outubro, como previsto».

O Governo explicou a decisão de fixar preços de referência para os combustíveis com a possibilidade de «escrutinar os valores praticados» e «permitir verificar, concelho a concelho, as situações que mais se afastam desses valores».

A tarefa da definição de preços de referência estará a cargo da recém-criada ENMC, liderada por Paulo Carmona, que veio substituir a extinta EGREP, e que mantém as atribuições em matéria de constituição, gestão e manutenção das reservas estratégicas de petróleo bruto e de produtos de petróleo.

Atualmente, os consumidores podem saber quais os postos de abastecimentos mais económicos do país por tipo de combustível na página da Direção Geral de Energia e Geologia, bem como o preço médio nos mais de 2 600 postos de abastecimento de Portugal Continental.

O consumo de gasóleo atingiu em julho o valor mais alto desde janeiro de 2012, com a comercialização de 529 909 toneladas, mais 3% do que no período homólogo. Nos primeiros oito meses do ano, as vendas de gasóleo totalizaram 3 723 801 toneladas, um acréscimo de 0,88% face ao período homólogo de 2013, mas uma queda de 2% em relação ao valor registado em 2012.

Já o consumo de gasolina manteve a tendência de queda, com uma redução de 2,4% até agosto, para 720 508 toneladas, face ao período homólogo de 2013, e de quase 6% com o mesmo período de 2012.