O presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) afirmou este domingo que vai promover uma "auditoria interna" aos procedimentos dos serviços, na sequência das alegadas fraudes nos estágios profissionais financiados pelo instituto.

Em entrevista ao jornal Público, António Valadas da Silva afirma que "foram dadas instruções aos serviços regionais e locais no sentido de ser reforçado o acompanhamento" dos estágios financiados pelo IEFP e anunciou a sua intenção de realizar uma "auditoria interna".

É minha intenção promover uma auditoria interna aos procedimentos dos serviços, no sentido de verificar se efetivamente estão a ser cumpridos e se necessitam de ser reforçados", afirmou Valadas da Silva, que tomou posse no cargo em junho.

O dirigente acrescentou que "essa auditoria vai arrancar proximamente para identificar áreas e aspetos de melhoria", com o objetivo de "reforçar a intervenção no âmbito da execução das políticas de emprego e formação profissional" e também para que o IEFP possa "defender os estagiários e para que eles possam estar mais acompanhados".

Em causa está a denúncia de que haverá empresas que abrem estágios financiados pelos IEFP mas que, posteriormente, obrigam os estagiários a devolverem parte do dinheiro ou a pagar os encargos da empresa junto da Segurança Social.

Na mesma entrevista, o presidente do IEFP, António Valadas Silva refere que "até hoje", o instituto recebeu "três queixas concretas", as quais encaminhou para o Ministério Público.