Os trabalhadores da empresa de componentes elétricos Efacec, em Leça do Balio, Matosinhos, vão ter aumentos salariais entre os 25 e 55 euros, após vários dias de greve entre fevereiro e abril, anunciou hoje o sindicato do setor.

“Aumento salarial, justo e para todos, não sujeito a qualquer espécie de avaliação, valorização profissional dos trabalhadores, traduzindo o cumprimento dos direitos do Contrato Coletivo de Trabalho do Setor dos Fabricantes de Material Elétrico e Eletrónico e reforço dos direitos sociais”, são as “conquistas” dos funcionários da Efacec, frisou o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Norte (SITE-NORTE) em comunicado.


Entre fevereiro e abril, os trabalhadores da Efacec realizaram cerca de quatro dias de greve por mês para reivindicar aumentos salariais.

Os trabalhadores com salários até aos 800 euros vão receber mais 55 euros, vencimentos de 801 até 1.010 euros sofrem um aumento de 50 euros e quem recebe mais de 1.011 euros tem mais 25 euros por mês, lê-se na nota do SITE Norte.

A Efacec irá ainda concretizar até junho de 2015 requalificações profissionais (ajustamento da categoria profissional às funções), analisar a política de pontes para aplicar em 2016, reintroduzir as faltas por doença sem baixa até três dias, duas vezes por ano, e as faltas remuneradas para assistência à família.

“Este importante acordo só se tornou possível graças à unidade e forte determinação dos trabalhadores que, juntamente com o SITE Norte, resistiram a todas as pressões e manobras com que foram confrontados ao longo dos últimos meses, nunca esmorecendo na sua luta, garantindo, assim, a generalidade dos objetivos que se propuseram alcançar com a mesma”, salientou.


A agência Lusa tentou obter um esclarecimento por parte da diretora de Comunicação da Efacec, mas não foi possível.