O Brasil anunciou este sábado que participará como membro fundado do Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas (AIIB) promovido pelo Governo chinês e que pretende promover o desenvolvimento sustentável na Ásia com financiamento de projetos energéticos, transporte e telecomunicações.

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, sublinhou que o país sul-americano tem «todo o interesse» em participar na iniciativa, referiu a Presidência numa curta nota à imprensa.

Inicialmente o AIIB, contará com um capital de 100.000 milhões de dólares para colocar em marcha projetos energéticos, de transporte e de telecomunicações no continente asiático mediante a concessão de créditos ou garantias.

Até 31 de março, os países que solicitem a entrada no banco podem fazê-lo como membros fundados, o que lhes proporcionará o direito de intervir na negociação das normas do banco, ainda por definir.

Outros países como o Reino Unidos, Luxemburgo, Espanha, Suíça, Alemanha, França e Itália, já manifestaram o seu interesse na iniciativa que a China lançou em 2013, mas que oficialmente apenas arrancou a 24 de outubro do ano passado e que conta já com a participação de cerca de 30 países.