Dos 128 projetos a votação, foram 15 os vencedores do Orçamento Participativo de Lisboa. Os mais votados foram a criação de um polo cultural em Carnide e a colocação de uma peça de arte denominada "Portugal em Lisboa".

 Esta edição recolheu um total de 37.673 votos, segundo foi anunciado em conferência de imprensa, nos Paços do Concelho da capital. O presidente da Câmara Municipal, Fernando Medina (PS), destacou que este é "um grande movimento social da cidade de Lisboa".

O Orçamento Participativo não é hoje um instrumento só para realizar um projeto ou outro, transformou-se numa força de mobilização da cidade imparável".

O Polo Cultural de Carnide será "uma estrutura para apresentação e formação em diferentes linguagens expressivas e performativas". Contou com 5.922 votos.

Já o segundo projeto mais votado, "Portugal em Lisboa, Turismo e Criatividade", recolheu 4.114 votos. Pretende que seja colocada "uma peça de arte pública no espaço urbano com a palavra Lisboa, em que cada letra simbolize uma dimensão cultural relacionada com Lisboa e Portugal".

Ambos os projetos estão inseridos na categoria de Estruturante, sendo que ao primeiro caberá uma verba de 500 mil euros e ao segundo 93 mil euros.

Ainda nesta categoria, os cidadãos deram a vitória à aquisição de uma ambulância e equipamento de emergência veterinária para socorro animal, que recolheu 2.504 votos. Terá uma verba de 150 mil euros.

Com 1.418 votos, saiu também vencedor o projeto referente à requalificação da piscina do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, que irá contar com 500 mil euros.

Projetos Locais

Nesta categoria, houve 11 projetos vencedores, distribuídos entre as zonas do centro histórico, centro, norte, ocidental e oriental da cidade.

2,5 milhões de euros para distribuir

A 10.ª edição do OP de Lisboa recebeu 434 propostas, menos 100 do que no ano passado, que, depois de analisadas pelos técnicos dos vários serviços camarários, culminaram em 128 projetos postos a votação.

No ano passado, o OP mobilizou um recorde de mais de 51 mil votos, que deram a vitória a 17 projetos, entre os quais a criação de um jardim no Caracol da Penha e um pavilhão desportivo na freguesia de Carnide.

A Câmara de Lisboa destina 2,5 milhões de euros para o Orçamento Participativo:

  • 1 milhão para a execução dos projetos "estruturantes" (até 500 mil euros)
  • 1,5 milhões para os projetos "locais"

Estes últimos repartem-se pelas cinco unidades de intervenção territorial de Lisboa (centro histórico, centro, oriental, ocidental e norte).

Ao longo dos 10 anos de OP foram apresentadas mais de 62 mil candidaturas, que resultaram em 7.500 propostas e 105 projetos vencedores.

Este ano, a votação decorreu entre 17 de outubro e 22 de novembro, através de várias plataformas ou presencialmente.