O Fundo Monetário Internacional defende que os migrantes na população ativa de um país podem ajudar a fazer crescer o Produto Interno Bruto per capita em 2%.

A migração melhora o PIB ‘per capita’ dos países anfitriões por impulsionar o investimento e por aumentar a produtividade laboral".

O relatório do FMI World Economic Outlook (WEO) indica que o um aumento que pode chegar aos dois pontos percentuais de crescimento a mais por cada ponto percentual extra na participação dos migrantes na população ativa do país.

Abordando os impactos da migração nas economias, o FMI defende que "os migrantes podem impulsionar a força de trabalho e ter um impacto positivo no crescimento e nas finanças públicas no médio prazo, especialmente nos países com populações envelhecidas".

Este é, de resto, o caso português que tem uma população envelhecida.

O PIB per capita é um indicador que mede que países criam mais e menos riqueza por pessoa, em paridades de poder de compra.