O fabricante norte-americano GM e o seu parceiro chinês SAIC deverão chamar à revisão 2,16 milhões de veículos na China, produzidos pela joint-venture. Em causa, está um defeito numa peça do motor.

O defeito, mais em concreto, prende-se com as válvulas de recuperação dos gases dos cárteres, segundo a Administração Geral da Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da China (AQSIQ).

A medida diz respeito aos veículos fabricados entre fevereiro de 2009 e abril deste ano. 

Ainda esta semana, foi noticiado que também o grupo Toyota está a chamar à revisão mais 1.600.000 veículos fabricados entre 2006 e 2011 nos Estados Unidos, neste caso por causa dos airbags da empresa Takata.

Os veículos são dos modelos Corolla, Matrix, Yaris, 4Runner, Sienna, Scion xB, Lexus ES, GX e IS.

Com o anúncio desta terça-feira, a Toyota vê-se obrigada a chamar à revisão um total de 4.730.000 veículos para reparar o defeito dos airbags.

Nos EUA,  registaram-se dez das 11 mortes relacionadas com equipamentos daquela marca japonesa. A 11.ª morte ocorreu na Malásia.

Os EUA exigiram aos fabricantes uma revisão de todos os carros que possam ter airbagsdefeituosos.

No Japão, já foram afetados cerca de 7 milhões de carros. A Honda também já fez recalls por causa dos mesmos airbags, bem como a Mazda.