Os líderes dos países do G7 estiveram reunidos e debateram vários temas como o terrorismo, as migrações, o Brexit e o crescimento global. Sobre estas duas últimas questões económicas, avisaram que a eventual saída da Grã-Bretanha da União Europeia poderia ter consequências económicas desastrosas e representaria um “grave risco" para o crescimento que, por sua vez, é "urgente" ser impulsionado a nível global.

“A saída da Grã-Bretanha da União Europeia iria inverter a tendência para o aumento do comércio e investimento global, e os empregos que estes geram, e representa um grave risco para o crescimento”

É o que se lê na declaração emitida no final da cimeira de dois dias, realizada no Japão. Ora, os britânicos vão decidir se a Grã-Bretanha permanece como membro da União Europeia num referendo, a 23 de junho.

 Quanto ao crescimento mundial “prioridade urgente”, os chefes de Estado ou de Governo dos sete países industrializados, expressaram que, "atendendo às especificidades de cada país", se comprometem a "fortalecer" as respostas em termos de política económica "de forma cooperativa e empregando um conjunto de políticas mais forte e equilibrada, a fim de alcançar rapidamente um padrão de crescimento forte, sustentável e equilibrado".