A agência de notação financeira Fitch baixou esta sexta-feira a classificação da dívida grega em dois pontos, de «B» para «CCC», devido aos «riscos elevados» que rodeiam as negociações entre Atenas e os seus credores internacionais.

«A falta de acesso ao mercado, as incertezas quanto a um rápido desbloqueio (da ajuda financeira internacional) e a tensão no setor bancário grego estão a pôr uma pressão extrema sobre o financiamento do Estado grego», salienta a Fitch num comunicado.


Sob assistência internacional desde 2010, Atenas está a negociar com os seus credores a libertação de uma parte dos 7,2 mil milhões de euros que lhe deverão ser entregues pela União Europeia, antes que os cofres do Estado fiquem totalmente vazios. O acordo deve ser alcançado na próxima semana.

Segundo a Fitch, o Governo grego, liderado pelo partido anti-austeridade Syriza, «sobreviverá a esta crise de liquidez», sem entrar em incumprimento, mas os riscos continuam «elevados».

A classificação «CCC» inclui-se na categoria de obrigações julgadas demasiado arriscadas pelos credores.
Por outro lado, a Fitch decidiu manter em «BB+» a classificação da dívida pública de Portugal.