O regulador do mercado britânico (FCA, na sigla em inglês) revelou esta quinta-feira que multou o Barclays em 72 milhões de libras (102 milhões de euros) por não ter minimizado o risco de grandes transações de políticos, o que poderia ter levado a facilitar crimes financeiros.

As falhas apontadas pelo regulador remontam a 2011 e 2012 e estão relacionadas com uma transação de 1,88 mil milhões de libras (2,27 mil milhões de euros), na qual o banco britânico não seguiu os procedimentos.

“O Barclays não obteve informações necessárias dos clientes para cumprir as práticas anti-crime. Não o fez porque não queria incomodar os clientes”, lê-se na nota da FCA.

O regulador revela que estes clientes são figuras com exposição pública e que, portanto, deveriam ter estado sujeitas a maiores níveis de controlo e monitorização.

O Barclays encaixou 52,3 milhões de libras (74,3 milhões de euros) com a operação, que agora vai ter de devolver. A este dinheiro acresce a multa de 19,8 milhões de libras (28 milhões de euros). No total, o banco britânico terá de desembolsar mais de 100  milhões de euros.