A companhia aérea de baixo custo Ryanair, que esta terça-feira começa a operar no aeroporto de Lisboa, quer colocar a capital portuguesa «no mapa» e transformá-la no principal destino na Europa para viagens de curta duração..

«Vamos pôr Lisboa no mapa e [a capital portuguesa] vai ser o destino número um na Europa em termos de city-breaks devido às tarifas baixas», afirmou, em entrevista à Lusa, o diretor de Marketing e Vendas da Ryanair para Portugal, Luís Fernandez-Mellado.

O responsável disse que a Ryanair acredita que pode aumentar e criar novo tráfego no aeroporto da Portela, onde hoje começa a operar voos de e para Stansted (Londres), Charleroi (Bruxelas), Beauvais (Paris) e Hahn (Frankfurt) e, a partir de abril de 2014, para Dublin.

«Sentíamos que por não estarmos em Lisboa estávamos a perder uma enorme quantidade de passageiros com origem em Portugal, mas esperamos também gerar uma procura que não existe atualmente», afirmou.

No primeiro ano de operação em Lisboa e com a capacidade atual, a Ryanair prevê transportar 400 mil passageiros, um número já avançado aquando do anúncio do início da operação, em setembro.

Luís Fernandez-Mellado disse que a companhia prevê que Lisboa seja o aeroporto «mais equilibrado» onde opera em Portugal, isto é, aquele que mantenha os mesmos níveis de atividade durante os diferentes períodos do ano, por oposição, nomeadamente, a Faro.

A Ryanair está em Portugal desde 2003 e tem duas bases, uma no Porto e outra em Faro.