As notas falsas de 500 euros apreendidas pelas autoridades dispararam no ano passado. Do primeiro para o segundo semestre houve uma diferença muito substancial, 16 vezes mais, de contrafações desconbertas.

Nos primeiros seis meses de 2017, tinham sido apreendidas 123 destas notas de valor mais elevado. Nos últimos seis meses, foram 1.976. Contas feitas, 2.099 notas contrafeitas.

Estas notas são de baixa qualidade, claramente distintas das notas genuínas e têm a palavra “espécime” escrita", informa o Banco de Portugal.

As de 500 € não são, porém, o maior alvo de contrafação. Esse rótulo cabe às de 20 €, com um total de 17.841 notas no acumulado do ano. 

As contrafações apreendidas apresentam qualidade regular e podem ser identificadas tocando, observando e inclinando a nota para detetar os seus elementos de segurança".

O supervisor explica a metodologia com três verbos: “Tocar – Observar – Inclinar”, sem ser previso utilizar qualquer instrumento de verificação. 

A apreensão de notas de 5 €, 10 € e 50 € baixou de um semestre para o outro.

Balanço da apreensão de notas contrafeitas em 2017

Nota 1º semestre 2017 2º semestre 2017
5 € 52 37
10 € 379 124
20 € 5.013 5.223
50 € 2.111 2.092
100 € 366 269
200 € 37 39
500 € 123 1.976
Total 8.081 9.760

Ao nível da zona euro, e segundo dados do Banco Central Europeu também conhecidos esta sexta-feira, foram retiradas de circulação 363 mil notas falsas entre julho e dezembro do ano passado, mais 9,7% em relação aos primeiros seis meses do ano e mais 2,8% comparando com o mesmo período de 2016. 

Ainda assim, o BCE entende que "a probabilidade de se receber uma nota contrafeita é diminuta" e que as notas de euro "continuam a ser um meio de pagamento seguro e de confiança".

A quantidade de contrafações permanece muito reduzida, em comparação com o número de notas de euro genuínas em circulação".

Encontram-se em circulação "muito mais de 21 mil milhões de notas de euro", com um valor total superior a 1,1 mil milhões de euros.