“Os jornalistas do Financial Times estão a preparar-se para uma greve de 24 horas, a primeira em 30 anos, depois do fracasso das discussões com a direção, devido à sua recusa em honrar os compromissos sobre as pensões, no seguimento da venda do jornal à Nikkei”, explicou o sindicato (NUJ, na sigla em Inglês), em comunicado.