O economista Alberto Castro será o presidente da Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD), entidade através da qual o Governo pretende «colmatar as insuficiências» no financiamento das pequenas e médias empresas, anunciou o Ministério das Finanças, nota a Lusa.

Segundo o comunicado do Ministério das Finanças, o conselho de administração da IFD, mais conhecida como banco de fomento, será presidido pelo docente da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica do Porto e terá como vice-presidente José Fernando Figueiredo.

São ainda nomeados, como administradores executivos, Ricardo Luz, Elísio Brandão e Maria João Nunes e, como administradores não executivos, Richard Pelly, Eduardo Cardadeiro, Estela Barbot e Altina Gonzalez.

A IFD vai assumir «a gestão de instrumentos financeiros com recurso a financiamento de fundos europeus estruturais e de investimento e a gestão dos fundos resultantes do reembolso de incentivos reembolsáveis dos diferentes períodos de programação no âmbito dos fundos europeus», salienta o mesmo comunicado.

Com esta nomeação cessam funções os membros da Comissão Instaladora, Paulo Azevedo, Carla Chousal e Nuno Soares.