A taxa de desemprego em Espanha era no final de setembro de 23,67% da população ativa, ficando, pela primeira vez desde 2011, abaixo dos 24%, segundo dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) espanhol, nota a Lusa.

Segundo o Inquérito da População Ativa (EPA, na sua sigla espanhola) hoje divulgado, o número de desempregados caiu em 195.200 durante o terceiro trimestre do ano, para um total de 5.427.700.

Apesar de, tradicionalmente, o terceiro trimestre do ano ser sempre um dos de maior criação de emprego, esta redução do desemprego foi a maior registada num período entre julho a setembro em toda a série histórica de dados da EPA.

Paralelamente, e segundo os dados hoje divulgados, o número de trabalhadores ocupados aumentou em 151 mil, para 17.504.000.

A taxa de emprego cresceu para 45,44% e a taxa de atividade caiu para 59,53% (menos 44.200) da população total espanhola, com 22.931.700 pessoas ativas.

Os dados da EPA normalmente diferem dos valores do Ministério do Emprego e Segurança Social (MESS), em parte porque a EPA é um inquérito contínuo que se realiza com uma amostra de 65 mil famílias e cerca de 200 mil pessoas, e o MESS utiliza dados dos centros de emprego.