O presidente executivo da Altice Portugal afirmou hoje que aguarda "serenamente que a Autoridade da Concorrência" (AdC) se pronuncie sobre a compra da Media Capital e que tem a "máxima confiança" que o negócio se vai realizar.

Alexandre Fonseca está a ser ouvido na comissão parlamentar conjunta de Economia, Inovação e Obras Públicas e Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, no âmbito de um requerimento do Bloco de Esquerda (BE) sobre a compra da dona da TVI pelo grupo Altice.

Questionado pelo BE sobre se a Altice veio ao parlamento dizer que desiste do negócio ou se aguarda que a AdC 'chumbe' o negócio, o presidente executivo da Altice Portugal afirmou: "Obviamente que estamos a aguardar [...] serenamente a decisão das autoridades competentes".

O presidente da Altice Portugal criticou ainda "outros que vieram" ao parlamento "acusar o Governo".

"Aguardamos serenamente que a Autoridade da Concorrência se pronuncie" sobre a operação, tendo a "máxima confiança" que o negócio se vai realizar, acrescentou.

Em 15 de fevereiro, a AdC decidiu abrir uma investigação aprofundada à compra do grupo Media Capital pela Altice por existirem "fortes indícios" de que a operação poderá resultar em "entraves significativos" à concorrência.

A Altice, que comprou em junho de 2015 a PT Portugal por cerca de sete mil milhões de euros, anunciou em julho passado que tinha chegado a acordo com a espanhola Prisa para a compra da Media Capital, dona da TVI, entre outros meios, por 440 milhões de euros.

Alexandre Fonseca: "Não temos nenhum plano de despedimento" 

O presidente da Altice Portugal afirmou ainda que não tem "nenhum plano de despedimento de colaboradores" no âmbito da compra da Media Capital pelo grupo de telecomunicações.

"Não temos nehum plano de despedimento de colaboradores no âmbito desta transação [compra da dona da TVI pela Altice]", disse Alexandre Fonseca.

"Aquilo que posso dizer é que o nosso projeto passa por um projeto de investimento, estabilidade", afirmou o gestor.

Relativamente à situação laboral na Altice Portugal, Alexandre Fonseca adiantou que "uma dezena de colaboradores já abandonaram" os processos que tinham contra a empresa.