“No final de 2016, se se verificar que as famílias tiveram algum desafogo, então consideramos que a lei deve ser aplicada, agora enquanto a situação se mantiver tal qual como está, achamos que não deve haver nenhum aumento”, afirmou Romão Lavadinho.