A maior construtora automóvel britânica, a Jaguar Land Rover, estima que seus resultados possam ser reduzidos em mil milhões de libras (cerca de 1,3 mil milhões de euros) até 2020 se o Reino Unido decidir deixar a União Europeia, escreve a Reuters que cita fontes próximas da empresa.

Este é o pior cenário que consta de um documento interno que foi preparado pelo economista chefe, David Rea, para antecipar as consequências para a fabricante de uma saída União Europeia na sequência do referendo de amanhã.

Segundo a Reuters, nos documentos a que teve acesso, ficam bem patente na preocupação da gigante automóvel com a forma como o Reino Unido poderá continuar, ou não, a assegurar o acordo de comércio livre com a União Europeia.

A previsão de quebra de lucros, em 1,3 mil milhões de euros em 2020, é calculada com base num cenário em que, após o Brexit, o país regressa às regras da Organização Mundial do Comércio para as transações com a Europa, que envolvem, por exemplo, tarifas sobre as exportações de cerca de 10% e tarifas de entrada na casa dos 4% no caso das componentes automóveis.