A Rússia e a China assinaram hoje um acordo para fornecimento de gás natural russo à China nos próximos 30 anos, um negócio que vai valer o equivalente a 292 mil milhões de euros.

Segundo os meios estatais russos, o acordo entre a empresa estatal russa de gás natural, Gazprom, e a Companhia Nacional de Petróleo da China (CNPC) foi celebrado pelo presidente russo, Vladimir Putin, e pelo seu homólogo chinês, Xi Jinping, no segundo dia de uma visita de Estado de Putin à China.

Com este acordo, em negociação há 10 anos, espera-se que a China receba 38 mil milhões de metros cúbicos de gás natural por ano, no que é o maior contrato que a Gazprom já fez.

O gás irá ser transportado pelo gasoduto Poder da Sibéria, que chega à China através da fronteira de leste com a Rússia, e abastece as províncias chinesas do norte.

A Rússia diversifica assim os seus mercados de gás natural depois da crise na Ucrânia, que fez com que o Ocidente ameaçasse com sanções económicas.