A Autoeuropa e a comissão de trabalhadores chegaram a um pré-acordo sobre várias matérias, incluindo o aumento salarial, bónus, conversão de contratos a termo em contratos efetivos, entre outros benefícios, apurou a TVI. As duas partes estiveram reunidas esta quarta-feira, ao início da tarde, e o acordo alcançado vigora até 31 de dezembro.

O aumento salarial será de 3,2%, com um mínimo de 25 euros, e com retroativos a 1 de outubro de 2017. Os trabalhadores vão receber, ainda, uma gratificação, que será de 100 ou 200 euros, consoante a antiguidade.

Acaba a tabela A0 para operadores, bem como o primeiro nível de integração para especialistas que venham a ser contratados. Com isto, quem seja contratado a partir de agora e integrasse o nível A0, irá receber mais 140 euros do que receberia.

Ficou ainda estabelecido que 250 contratos a termo passarão a efetivos, até 31 de dezembro deste ano.

Os trabalhadores que tiverem saldo positivo relativamente aos down-days (dias em que a fábrica para), receberão em janeiro do próximo ano o respetivo pagamento.

Entre os benefícios acordados para os funcionários, está o pagamento de seis bolsas de estudo para filhos de trabalhadores no ensino superior e condições especiais para grávidas. Condições que passam pelo pagamento de um subsídio no valor de 10% do salário.

A TVI sabe que haverá três plenários de trabalhadores para apresentar o resultado das negociações, no próximo dia 27 de fevereiro, terça-feira.

Este pré-acordo não tem uma linha sobre a questão dos novos horários. Há meses que os trabalhadores se opõem ao trabalho obrigatório ao sábado e aos novos horários que entraram em vigor por imposição da empresa. O primeiro sábado de trabalho foi a 3 de fevereiro.

O objetivo é aumentar a produção do novo modelo T-Roc, mas uma semana depois, a fábrica teve de parar por falta de peças.