O número de beneficiários com prestações de desemprego foi de 185.473 em agosto, menos 14,3% face ao mesmo mês do ano passado e menos 1,9% comparando com o mês anterior, segundo dados oficiais divulgados esta quarta-feira.

De acordo com as estatísticas mensais da Segurança Social, o número de beneficiários de prestações de desemprego em agosto de 2017 foi o mais baixo desde janeiro de 2002, quando o número foi de 184.077.

O número de beneficiários inclui dados do subsídio de desemprego, subsídio de desemprego social inicial e subsequente, prolongamento de subsídio social de desemprego e medida extraordinária de apoio aos desempregados de longa duração.

Quanto ao subsídio de desemprego, o número de beneficiários atingiu 149.680 em agosto, uma redução homóloga de 12,4% e uma queda de 0,9% face a julho.

O subsídio social de desemprego inicial chegou a 7.077 desempregados, representando menos 19,6% face ao período homólogo e menos 4,3% do que no mês anterior.

Já o subsídio social de desemprego subsequente abrangeu 26.864 indivíduos, menos 26,3% face ao mesmo mês de 2016 e uma redução de 6,6% comparando com julho.

A medida extraordinária de apoio aos desempregados de longa duração sofreu uma descida de 12,6% comparativamente ao mês anterior, integrando 2.752 indivíduos nesta medida, ou seja, menos 397 indivíduos do que no mês anterior.

Numa análise por sexo, observou-se uma diminuição de 9,7% do número de mulheres com prestações de desemprego e de 19,1% do número de homens desempregados face ao mesmo período do ano anterior.

Por grupos etários, o decréscimo é generalizado mas mais acentuado entre os 45 e 54 anos (menos 19%) e entre 35 e 44 anos (13,8%).

O valor médio das prestações de desemprego processadas em agosto foi de 465,22 euros, mais 0,8% que no mês anterior e mais 1,9% face ao período homólogo.

Segundo os últimos dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), o número de desempregados inscritos nos centros de emprego foi de 418,2 mil pessoas em agosto.

RSI chega a mais de 210 mil pessoas em agosto

O número de beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) subiu ligeiramente entre julho e agosto, sendo o quarto aumento desde o início do ano, com mais de 210 mil pessoas a receberem esta prestação social.

De acordo com os dados estatísticos mais recentes do Instituto de Segurança Social (ISS), 210.419 pessoas receberam o RSI em agosto, mais 838 (0,39%) do que em julho, mas menos 6.127 do que em comparação com o período homólogo do ano passado.

O número de famílias a receber RSI teve evolução inversa, havendo uma diminuição tanto na comparação entre os meses de julho e agosto, como na comparação anual.

Os números do ISS mostram que em agosto houve 94.521 famílias a receberem esta prestação social, contra 94.687 no mês de julho, o que significa que houve menos 166 agregados familiares com direito ao RSI.

Olhando para o período homólogo, a quebra é de 3,6%, já que em agosto do ano passado havia 98.043 famílias e num ano 3.522 agregados deixaram de receber o RSI.

No que diz respeito à distribuição geográfica, a maior parte dos beneficiários concentra-se nos distritos do Porto (62.972), Lisboa (36.742) e Setúbal (18.876).

O mesmo acontece com as famílias, havendo 28.985 no Porto, 16.845 em Lisboa e 9.627 em Setúbal.

Em agosto, o valor médio por beneficiário foi de 111,87 euros, enquanto por família situou-se nos 254,14 euros.