O sindicato alemão Cockpit, que representa os pilotos da companhia aérea Lufthansa, marcou esta quinta-feira uma nova greve para sábado para os voos de longo curso e de transporte de mercadorias.

A greve dos pilotos da Lufthansa teve início quarta-feira e obrigou a companhia alemã a cancelar naquele dia 750 voos.

Esta quinta-feira, a greve afetou as operações de longo curso e de mercadoria e obrigou ao cancelamento de 84 voos, segundo um porta-voz da empresa.

Na sexta-feira, os pilotos voltam a paralisar e a Lufthansa cancelou já 700 voos de pequeno e médio curso.

Numa declaração, o sindicato criticou a «posição rígida» da empresa e disse estar pronto para se «sentar à mesa das negociações».

A greve dos pilotos de sábado terá um impacto similar à greve desta quinta-feira, segundo o porta-voz da empresa.

Os pilotos contestam a alteração das condições para o fim de carreira e querem manter a possibilidade de passar à pré-reforma aos 55 anos, com 60% do salário.

A Lufthansa disse que o custo das greves no ano passado ascendeu a 232 milhões de euros.