A Cáritas Portuguesa vai arrancar com uma plataforma de emprego destinada a pessoas com 40 ou mais anos, onde seja possível a partilha de competências por parte de quem está desempregado ou reformado com possíveis empregadores.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Cáritas Portuguesa explicou que a iniciativa vem na sequência do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações, assinalado em 2012, tendo sido preocupação da instituição que o ano europeu fosse a «rampa de lançamento» para outras iniciativas.

De acordo com Eugénio Fonseca, foi lançado na altura um concurso para a elaboração de uma bolsa de ideias com vista à criação de uma plataforma onde pudessem ser guardadas as competências que fossem sendo encontradas.

Deste concurso resultou o projeto «Rede de Competências Cáritas», com a qual se pretende fazer a comunicação entre quem procura emprego e quem o pode facilitar.

«As pessoas que estejam já aposentadas, mas que ainda considerem que podem pôr as suas competências ao serviço do bem comum, mas mesmo pessoas em situação de desemprego, com mais de 40 anos, que possam ver como difícil voltar a encontrar trabalho por conta de outrem, pode encontrar nesta plataforma uma forma de realizar um direito que lhes assiste, que é o de estarem providos de um posto de trabalho», explicou Eugénio Fonseca.

Nessa plataforma, quem procura trabalho pode colocar as suas competências, ao mesmo tempo que potenciais empregadores se podem socorrer desta ferramenta para procurar pessoas que correspondam às suas necessidades.

«Por isso, nós queremos envolver as empresas do nosso país na dinamização desta plataforma para que possamos corresponder às expectativas dos destinatários», adiantou o presidente da Cáritas Portuguesa.

Na opinião de Eugénio Fonseca, esta plataforma representa «mais um contributo» que a Cáritas quer dar na luta contra «um flagelo tão grande como o desemprego».

«Face aos novos desafios que se lançam a partir da alteração das tecnologias, que a própria ciência tem vindo a trazer às condições de vida, temos aqui propostas que visam dar melhores condições de vida às pessoas», sublinhou.

Eugénio Fonseca adiantou que a plataforma vai ficar alojada num portal, na internet.

O projeto vai ser dado a conhecer na próxima terça-feira, dia 23 de julho, altura em que será premiada a equipa de investigadores e docentes da Universidade do Porto que apresentou a melhor ferramenta tecnológica para a criação, gestão e disseminação da plataforma «Rede de Competências Cáritas» e que ganhou um prémio no valor de 5 mil euros.

Eugénio Fonseca disse acreditar que a plataforma esteja operacional em setembro.

O projeto «Rede de Competências Cáritas» vai ser apresentado pelas 17:00, na Associação Comercial Portuguesa, em Lisboa, e a cerimónia deverá contar com a presença do secretário de Estado do Emprego.