Mais de 100 mil beneficiários saíram do sub-sistema de saúde ADSE desde 2011 até ao presente, revela o Diário Económico.

A queda poderá ser explicada com a quebra do número de trabalhadores do Estado, a perda do acesso à ADSE por parte dos familiares, mas também com o aumento dos descontos.

Em 2011, o número de beneficiários ascendia a 1.345.390 e em janeiro deste ano era de 1.244.143. O ano em que a queda foi mais acentuada foi em 2013, com menos 3,2% dos beneficiários. Já este ano, só em janeiro, o universo de beneficiários da ADSE caiu cerca de 30 mil face ao final de 2014.

Os especialistas temem que a subida da taxa paga pelos beneficiários esteja a provocar a saída dos trabalhadores com salários mais elevados, optando por seguros de saúde privados.

Desde a chegada da troika, foi mais de uma centena que deixou de constar neste sub-sistema do Estado.