A Carris vai reforçar na terça-feira as carreiras de autocarros que coincidem com as linhas do Metropolitano de Lisboa (ML), como os números 726, 736, 744 e 746, devido à greve parcial dos trabalhadores do metro, informou a empresa.

Em comunicado, o metropolitano previu a suspensão da circulação entre as 06:30 e as 09:30, admitindo que pelas 10:00 o serviço esteja normalizado em todas as linhas.

Durante esse período, a Carris vai reforçar a oferta, através da «colocação em serviço de um número suplementar de autocarros, pelo que não será afetado o normal funcionamento do serviço da Carris, embora se prevejam dificuldades no trânsito em Lisboa».

No mesmo comunicado, o Metropolitano acrescentou que o conselho de administração da empresa «reitera o seu empenho na prossecução das medidas necessárias que garantam a sustentabilidade e a qualidade do serviço de transporte que o ML disponibiliza diariamente aos seus cerca de 500.000 clientes».

Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), e a empresa já tinham avançado à Lusa a ausência de serviços mínimos na paralisação de terça-feira.

A greve está marcada para o período entre as 05:30 e as 09:30 para a generalidade dos trabalhadores e entre as 08:00 e as 12:30 para os trabalhadores administrativos e técnicos superiores.

Entre os motivos para esta paralisação, segundo a dirigente da Fectrans, está o decreto-lei 133/2012, que «pretende abrir as portas à concessão da empresa e, uma vez mais, reduzir trabalhadores, reduzir os seus direitos e reduzir a sua remuneração».