Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa entregaram um novo pré-aviso de greve de 24 horas para dia 26 de junho, contra a privatização e a reestruturação da empresa, disse esta quinta-feira à Lusa fonte sindical.

De acordo com José Manuel Oliveira, coordenador da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS), a greve a realizar na sexta-feira, dia 26 de junho, tem os mesmos motivos e decorrerá nos mesmos moldes da realizada hoje, com a duração de 24 horas.

As estações do Metropolitano de Lisboa encerraram às 23:20 de quinta-feira e abrirão às 06:30 de sexta-feira devido à greve de 24 horas realizada hoje, esta quinta-feira – a oitava este ano - em protesto contra a subconcessão da empresa e contra a prevista dispensa de trabalhadores.

A greve de hoje registou uma adesão a rondar os 100% dos trabalhadores da parte operacional da empresa, encontrando-se as estações encerradas, disse à Lusa uma fonte sindical.

O Governo aprovou a 26 de fevereiro a subconcessão do Metro e da Carris e, na segunda-feira, revelou que cinco candidatos apresentaram propostas, das quais três são conjuntas às duas empresas. As empresas interessadas no Metropolitano são a transportadora parisiense RATP (Régie Autonome des Transports Parisiens) e a também francesa Transdev, além da britânica National Express e da espanhola Avanza.

Ainda esta quinta-feira, o secretário de Estado dos Transportes revelou que as propostas apresentadas são "muitos vantajosas" e que o relatório preliminar de análise será divulgado amanhã.