O nível de crédito malparado em Espanha era no final de 2013 de 13,6% do total de crédito concedido, o valor mais elevado desde que em 1962 o Banco de Espanha começou a compilar este indicador.

Dados provisórios divulgados pelo Banco de Espanha confirmam que no final do ano o sistema financeiro espanhol acumulava um conjunto de créditos malparados que ascendiam a 197.045 milhões de euros, acima dos 192.480 milhões de euros de novembro.

No total, o sistema financeiro tinha concedido créditos no valor de 1,45 biliões de euros, abaixo dos 1,47 biliões de euros de novembro.

O aumento verificado nos últimos meses deveu-se tanto aos efeitos da crise económica como às reclassificações de crédito exigidas pelo Banco de Espanha e à queda no volume total de créditos.

Os valores de crédito malparado desceram apenas no final de 2012 e inicio deste ano pelos efeitos contabilísticos da transferência de ativos tóxicos para a Sociedade de Ativos da Reestruturação Bancária (SAREB), conhecida como «banco mau».

Uma vez corrigido esse efeito o nível de malparado tem mantido a tendência de crescimento registando 10 aumentos mensais consecutivos.