A OPEP anunciou esta segunda-feira que espera um "processo de reequilíbrio" do preço do petróleo a começar em 2016 porque a acentuada descida das cotações vai fazer com que a produção dos seus concorrentes, como os Estados Unidos, comece a cair.

Segundo a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), a produção dos países fora do cartel tiveram sete anos de crescimento "fenomenal", pelo que se espera um abrandamento, o que faria com que a estratégia da organização seja uma meia vitória, apesar de o crude continuar a ser vendido abaixo dos 30 dólares por barril, quando no início de 2014 esteve a 100 dólares por barril.

"A análise indica que o ano de 2016 será orientado para a oferta, em que o processo de reequilíbrio começa", refere a OPEP no seu relatório mensal de janeiro.

O preço do barril de Brent atingiu os 28 dólares no mercado londrino, deslizando para um novo mínimo de novembro de 2003. 

Os futuros caíram 4,4% em Londres, depois de terem sido levantadas as sanções norte-americanas e europeias ao Irão. 

Os EUA puseram fim às sanções que cortaram as exportações do crude iraniano no sábado, e o país já anunciou que está pronto para aumentar a exportação de petróleo em 500 mil barris por dia.