Portugal sai hoje do Procedimento por Défice Excessivo (PDE) e o ministro das Finanças diz que o país "é hoje maior". Uma decisão que, espera, que se reflita na melhoria das condições de financiamento da economia, com as agências de rating - já hoje a Fitch - a reconhecerem e melhorarem as notações para a dívida portuguesa.

"Há um ano poucos acreditavam no que estamos a assistir [saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo]. Hoje temos uma política distinta que foi, durante bastante tempo, denegrida", disse Centeno aos jornalistas em Bruxelas

Sobre as críticas, Centeno refere que "essas opiniões provaram-se ser enganosas".

"A Europa confia no rumo que abraçámos e os portugueses confiam numa politica que trouxe crescimento para todos", acrescentou o governante.

Agora é tempo de olhar para o futuro. Mário Centeno espera que com esta decisão formal do Conselho, que significa que Portugal sairá finalmente do PDE que lhe era aplicado desde 2009 e passará do braço corretivo para o braço preventivo do Pacto de Estabilidade e Crescimento, também os mercados e as agências de rating melhorem o seu olhar sobre o país.

Os juros da dívida portuguesa a 10 anos estão em alta, face a ontem, mas nos 2,8% [às 12:45] antes de, esta sexta-feira, a Fitch se pronunciar sobre o rating do país. Os analistas não antecipam uma subida de rating, já que a perspetiva é "estável", devendo ser alterada para "positiva" antes de qualquer mexida no rating

Mesmo assim o Centeno está confiante: "Hoje a Fitch vai reavaliar essas circunstâncias e todos esperamos que esta realidade se possa refletir numa reavaliação efetiva de a agência mas temos que esperar. Não podemos, no entanto, esconder que existe uma expetativa positiva que é partilhado por todos".

Agência Longo prazo notação Outlook
DBRS BBB (low) Estável
Fitch Ratings BB+ Estável
Moody’s Ba1 Estável
Standard & Poor’s BB+ Estável