Os juros da dívida portuguesa estavam estão a recuar tanto a dois, como a cinco e dez anos em relação a sexta-feira, alinhados com os da Irlanda, Itália e Espanha. No prazo mais longo, a descida é para mínimos registados no final de janeiro. 

As medidas anunciadas na quinta-feira pelo Banco Central Europeu - corte das taxas de juro e reforço dos estímulos económicos - continuam, por isso, a ter efeitos positivos tanto nas bolsas como nos juros da dívida.

Na manhã desta segunda-feira, os juros estavam a tocar os 2,733%, já distantes dos máximos  registados em fevereiro, acima dos 4%, valor que não se via desde março de 2014.

Nos últimos seis meses, os juros a dez anos desceram até ao mínimo de 2,268% a 2 de dezembro do ano passado, segundo a Reuters.