A Comissão Executiva da Soporcel, da Figueira da Foz, anunciou hoje o agendamento de uma reunião com os trabalhadores para o dia 12 de junho, em Setúbal.

Os trabalhadores da papeleira desconvocaram no domingo o segundo período de greve, o que levou a empresa a tomar esta decisão.

«A administração da Soporcel saúda esta decisão responsável dos colaboradores, recordando que sempre e repetidamente anunciou a sua disponibilidade para um diálogo construtivo que, infelizmente, e para prejuízo dos colaboradores e da empresa, não foi possível antes», refere um comunicado enviado esta manhã à agência Lusa.

Os trabalhadores cumpriram um primeiro período de greve de quatros dias, que terminou às 24:00 de sábado, em protesto contra as alterações do fundo de pensões, alegando que as novas regras ditam um prejuízo de 40% a 60% nas reformas.

De acordo com fonte sindical, o sistema atual, intitulado de «benefício definido», a empresa contribui com 8% do salário dos trabalhadores e garante o capital do fundo - passará para um sistema de «contribuições definidas», em que a participação da empresa baixa para os 4% (podendo os colaboradores, voluntariamente, contribuírem com a percentagem que quiserem), mas o capital existente no fundo passa a depender das flutuações do mercado e outros aspetos.

O segundo maior exportador nacional em 2013, entrou em funcionamento em 1984 e, desde essa data, não havia registo da convocação de qualquer greve.