O Governo da Irlanda não vai cumprir alguns objetivos orçamentais fixados para 2016 e 2017 pela União Europeia, mas não deverá ser penalizado por estas infrações, assumiu esta quarta-feira o Conselho Consultivo Orçamental, um órgão nacional independente.

Dublin já apresentou o Orçamento do Estado para o próximo ano, que inclui um pacote de estímulo à economia avaliado em 1.300 milhões de euros, 500 dos quais destinados a reduzir a carga fiscal e o resto a elevar a despesa pública.

O ministro das Finanças irlandês, Michael Noonan, sugeriu no mês passado que esse pacote seria da ordem dos mil milhões de euros. O Conselho Consultivo Orçamental (FAC, na sigla em inglês) considerou nessa altura que esse número estava "no limite do prudente", cita a Lusa.

O país também teve ajuda financeira da troika para a banca, tendo conseguido superar o problema com sucesso. 

Portugal e Espanha, recorde-se, estão a ser alvo de ameaças de sanções por incumprimento do défice entre 2013 e 2015. Lisboa escapou à multa, mas ainda pode vir a enfrentar uma suspensão dos fundos estruturais.

O Orçamento, que será conhecido na sexta-feira, terá de convencer Bruxelas, bem como Mário Centeno, que vai ser ouvido no Parlamento Europeu no final de outubro.