A transportadora aérea Ryanair anunciou hoje que 150 de um total de 400 voos de e para a Alemanha serão cancelados na quarta-feira devido à “desnecessária greve de pilotos”, lê-se em comunicado.

A companhia aérea de baixo custo referiu que o sindicato VC convocou uma “greve surpresa (com um aviso de 24 horas) e desnecessária” na Alemanha para dia 12, acrescentando o desejo em “completar a maioria do seu horário”, pelo que “lamentavelmente se vê forçada a cancelar 150 de 400 voos de/para a Alemanha”.

Os clientes afetados foram contactados esta manhã com opções alternativas.

O responsável de 'marketing' da Ryanair, Kenny Jacobs, citado no comunicado, condenou a decisão do VC de convocar a greve num curto espaço de tempo e quando a transportadora tinha concordado numa mediação independente, em negociar contratos legais e aumentar salários aos pilotos alemães.

O protesto alemão antecede uma greve europeia que deverá ser oficializada na quinta-feira em Bruxelas, por sindicatos italianos, portugueses, espanhóis e belgas dos trabalhadores da Ryanair.

A imprensa internacional tem referido 28 de setembro como o dia para a maior greve da história da companhia, mas fontes sindicais nacionais contactadas pela agência Lusa garantem não haver ainda data oficializada para o protesto.

Dado que efetuamos contratos locais e melhorámos os pagamentos não há justificação para novas paragens”, disse a companhia de aviação irlandesa através de um comunicado.

No mês de agosto, os pilotos da Ryanair, companhia de voos de baixo custo, organizaram uma série de greves em vários países europeus, incluindo Portugal, e que levou ao cancelamento de 400 voos.