A primeira revisão regular da troika ao programa de ajustamento de Chipre começa a 17 de julho e vai focar-se no setor financeiro, nas reformas estruturais e nos indicadores macroeconómicos, indicou esta quinta-feira o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O porta-voz do FMI, Gerry Rice, afirmou hoje, na conferência de imprensa quinzenal, que as negociações da troika (FMI, Banco Central Europeu e Comissão Europeia) com as autoridades cipriotas vão começar a 17 de julho e prolonga-se por duas semanas.

«Como se trata da primeira revisão ao programa, vamos monitorizar o progresso da implementação das medidas. Posso dizer que vamos focar-nos no setor financeiro, no desempenho macroeconómico e nas reformas estruturai», afirmou.

A crise financeira cipriota, provocada essencialmente pela exposição dos bancos da ilha à dívida grega, levou o país a recorrer, no final de março, a um plano de resgate de 10 mil milhões e euros.

Em contrapartida, Chipre teve que encontrar poupanças de 13 mil milhões, sobretudo através de uma restruturação do sistema bancário, que fez perder aos titulares de contas bancárias todos ou parte dos fundos acima dos 100 mil euros.