O Governo responde às críticas dos fiscalistas a propósito dos erros no Portal das Finanças, relativizando, por um lado, e deixando a promessa de que o Governo vai resolver os problemas - todos aqueles que surgirem - a esse propósito. 

"Todos os anos existem problemas com o portal das Finanças", começou por dizer o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, numa declaração aos jornalistas no Parlamento.

"Nos problemas que o Governo identificou e que podem ter prejudicado por terem influenciado uma escolha má dos contribuintes foi identificada a situação e encontrada uma solução: os contribuintes afetados poderiam substituir as suas declarações, sem qualquer penalização", disse a seguir, referindo-se à falha no simulador do IRS do portal das Finanças no dia 1 de abril, que o Fisco assumiu mais tarde ter existido. 

Com esse erro, a Autoridade Tributária avisou os contribuintes que submeteram as suas declarações de IRS no dia 1 de abril entregar novas declarações sem penalização. Mas depois esclareceu que apenas quem tinha feito a liquidação do imposto até às 15:00 daquele dia é que estava a salvo de coimas.

As críticas logo surgiram. Para a DECO, isto reflete "a desigualdade e a aparente inimputabilidade da 'máquina' fiscal do Estado", uma vez que houve problemas vários na página da Internet do Fisco pelo menos até 19 abril. Por isso, defende que o Fisco "deveria ser obrigado a indemnizar os cidadãos lesados pelos seus erros".

Qual a promessa do Governo perante estas críticas?

 "Se outras situações vierem a ser detetadas e mereçam também uma solução desse género, naturalmente o Governo está sempre disponível para corrigir essas situações"

Rocha Andrade fala no abstrato, sem se referir em concreto aos prazos estabelecidos pelas Finanças, que não permitem a todos os contribuintes ter a mesma oportunidade de substituir a declaração de IRS, caso necessitem, para além das 15:00 do dia 1 de abril e nos dias seguintes.