A KPMG escusou-se esta segunda-feira a ser auditor externo da Portugal Telecom, SGPS, (PT SGPS) informou a empresa, através de um comunicado colocado no sítio da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) na Internet.

Esta informação vem na sequência de comunicados da PT SGPS divulgados em 08 e 09 de janeiro no sítio da CMVM. No primeiro daqueles, os investidores eram informados de que a Deloitte renunciara às funções de auditor externo, depois de a Oi ter nomeado outro auditor para a PT Portugal e participadas portuguesas relevantes.

A Deloitte justificava a sua renúncia por, em consequência, passar a auditar uma «ínfima parte dos ativos e dos proveitos consolidados da PT SPGS», depois da decisão da Oi, pelo que considerava «não dispor de condições técnicas para continuar a assumir a responsabilidade pela certificação das contas consolidadas da PT SGPS do exercício de 2014».

Neste mesmo dia 08 de janeiro, adiantava-se também que a KPMG tinha sido convidada para substituir a Deloitte.

No dia seguinte, foi esclarecido que a substituição não seria imediata, uma vez que dependia da «conclusão de procedimentos de aceitação» que estavam em curso.

Entre estes procedimentos, pormenorizou-se nos comunicados, estavam a entrega de documentos por parte dos antigos auditores e reuniões destes com os novos.

Agora, a PT SGPS informou que foi notificada pela KPMG de que, «após a conclusão dos procedimentos referidos naqueles comunicados, a KPMG Portugal concluiu não lhe ser possível aceitar as funções de auditor externo da PT SGPS».

Em resultado, adiantou-se no texto, a PT SGPS vai solicitar a outra firma uma proposta de auditoria, para poder fazer «a nomeação de um novo auditor externo no mais curto espaço de tempo possível».