A agência de rating DBRS confirmou a nota atribuída à Parpública, conforme informou esta segunda-feira a empresa que gere as participações do Estado.

Em comunicado enviado esta segunda-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Parpública dá conta de que, a 6 de maio de 2016, a DBRS, a agência de rating canadiana e a única que dá uma nota acima de "lixo" à República Portuguesa, "manteve inalteradas, face à última revisão, as notações de rating atribuídas à Parpública", que continua com um rating de longo prazo de BBB (baixo) e perspetiva estável.

Esta decisão da DBRS surge depois de, a 29 de abril, a DBRS ter anunciado que manteve o rating da dívida pública portuguesa em 'BBB' (baixo), um nível acima de "lixo", com perspetiva estável.

No entanto, a agência de notação financeira avisou, na altura, que "o 'rating' pode ser pressionado de forma negativa", caso se verifique um "enfraquecimento do compromisso político para com políticas de sustentabilidade económica ou se a economia crescer menos do que o previsto, conduzindo a uma deterioração da dinâmica da dívida pública".

É que para a DBRS existem riscos face às perspetivas orçamentais do Governo, que surgem "sobretudo de assunções otimistas de crescimento e da capacidade limitada do Governo para conduzir uma estratégia orçamental apertada no médio prazo, dado o seu fraco mandato".